ESTRUTURAS METÁLICAS NO CONCRETO DE BRASÍLIA

Publicado
2019-12-31

    Autores

  • Elcio Gomes da Silva
  • Danilo Matoso Macedo

Resumo

Os edifícios representativos construídos em pouco mais de três anos e meio para a inauguração de Brasília caracterizam-se, essencialmente, pela exaltação da técnica do concreto armado e das possibilidades do material híbrido, explicitadas na leveza aparente das colunas dos palácios, nos planos delgados e nas cúpulas. Em que pese essa intenção, o conjunto arquitetônico dos edifícios de múltiplos andares, que define a Esplanada dos Ministérios, materializou-se a partir do considerável uso de esqueleto estrutural metálico. Testado preliminarmente como protótipo na execução do Brasília Palace Hotel, o sistema fez parte das soluções do arquiteto Oscar Niemeyer para os prismas que abrigariam os Ministérios – conforme a proposta urbanística de Lucio Costa – e para as torres anexas do Congresso Nacional. A decisão tornou possível o cumprimento do prazo previsto, mas não sem dificuldades. De um início alicerçado na indústria nacional ao envolvimento malogrado de empresas estrangeiras a leitura da sequência dos fatos revela, nas dificuldades enfrentadas e nas concessões admitidas, aspectos próprios da condição em que se encontravam a técnica e a tecnologia das estruturas de aço no Brasil. Tendo por base a análise da documentação técnica original, referente ao projeto e à execução daqueles edifícios, bem como dos documentos administrativos da construção, o trabalho apresenta os eventos históricos e procura avaliar as possíveis contribuições desse período de incomum concentração do emprego de estruturas de aço nas construções.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Como Citar
DA SILVA, E. G.; MACEDO, D. M. ESTRUTURAS METÁLICAS NO CONCRETO DE BRASÍLIA. Revista Thésis, [S. l.], v. 2, n. 5, 2019. Disponível em: https://thesis.anparq.org.br/revista-thesis/article/view/203. Acesso em: 23 jan. 2021.