Santa Luzia Sensível à Água

abordagem leapfrogging com padrões espaciais de infraestrutura ecológica para ocupações informais no DF.

Publicado
2023-12-21
Palavras-chave: Leapfrogging, Sensibilidade hídrica, Assentamento informal, Direito à água, Padrões espaciais, Drenagem urbana leapfrogging, water-sensitive, informal settlement, right to water, patterns, urban drainage. leapfrogging, sensibilidad hídrica, asentamientos informales, derecho a la agua, patrones, drenaje urbano.

    Autores

  • Gabriel Perucchi Universidade de Brasília
  • Liza Maria Souza de Andrade Universidade de Brasília
  • Vinícius Silva Rezende Universidade de Brasília

Resumo

Santa Luzia, assentamento informal em crescimento, teve início na década de 1990 nas proximidades do Lixão da Cidade Estrutural no Distrito Federal, oriunda da luta por moradia de famílias de baixa renda, despejadas de seu lugar de origem. Atualmente, sofre sem saneamento básico, com uma infraestrutura precária  e negação de seu direito ao provimento para o espaço autoconstruído, dotado de suas identidades e relações socioespaciais, entendedo-se que a população possa se manter, desde que promovida a infraestrutura adequada. Sem drenagem urbana suficiente, problemas como alagamentos e enxurradas tornam os espaços autoconstruídos ainda mais vulneráveis e, potencialmente, mais danosos à Unidade de Conservação de Proteção Integral adjacente. Uma área desprovida de infraestrutura hídrica, como Santa Luzia, segundo Brodnick et al (2018), possui um maior potencial de tornar-se mais rápida e diretamente “sensível à água”, em um fenômeno chamado “leapfrogging”, se comparada a uma cidade com sua infraestrutura cinza tradicional já consolidada, sem que este processo passe por todas as etapas de desenvolvimento apresentadas por Brown et al (2009). No anseio de se propor uma infraestrutura ecológica de drenagem com Soluções baseadas na Natureza -  SbN -  e reaproveitamento de água que, além de reduzir os problemas sofridos pela ocupação, tornasse-a sustentável ambientalmente e sensível à água, este trabalho, resultado de PIBIC indicado a prêmio destaque e vinculado ao Projeto de Extensão “Santa Luzia Resiste”, buscou analisar, presencialmente e através de mapas georreferenciados, a ocupação de Santa Luzia e propôs padrões de projeto (ALEXANDER et al., 1977 e ANDRADE, 2014) baseados nas orientações do Melbourne Water (2017) e no trabalho de promoção e implementação da sensibilidade hídrica na infraestrutura de assentamentos informais, desenvolvido pela Monash University, da Austrália.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ALEXANDER, C; ISHIKAWA, S.; SILVERSTEIN, M.; JACOBSON, M.; FIKSDAHL-KING, I.; ANGEL, S. A pattern language. Nova Iorque: Oxford University Press, 1977.

ANDRADE, L.M.S. Conexão dos padrões espaciais dos ecossistemas urbanos à construção de um método transdisciplinar para o processo de desenho urbano sensível à água no nível da comunidade e no nível da paisagem. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – FAU/UnB. Brasília, 6 de Junho de 2014.

ANDRADE, L.M.S; LACERDA, G.N; OLIVEIRA, A.B; OLIVEIRA, A.A Barbosa; DANTAS, A.L.F; CAMARGO, P.R.R.C. Brasília Sensível à Água. Anais. Porto Alegre: IV ENANPARQ. UFRGS. 2017.

BRODNICK, C.; HOLDEN, J.; MARINO, R.; WRIGHT, A.; COPA. V.; ROGERS, B.; ARIFIN, H.S.; BROWN, R.; DJAJA, K.; FARELLY, M. “Jumping to the top: catalysts for leapfrogging to a water sensitive city”. Earth and Environmental Science n. 179. Bristol, Reino Unido: IOP Publishing, 2018. DOI: https://doi.org/10.1088/1755-1315/179/1/012034

BROWN, R.R.; KEATH, N.; WONG, T.H. “Urban water management in cities: historical, current and future regimes”. Water, Science & Technology n. 59 (5). Londres, Reino Unido: IWA Publishing, 2009. p. 847-855. DOI: https://doi.org/10.2166/wst.2009.029

BROWN, R.; ROGERS, B.; WERBELOFF, L. Moving towards water sensitive cities: a guidance manual for strategists and policy makers. Melbourne, Austrália: Cooperative Research Centre for Water Sensitive Cities, 2016.

COHEN-SACHMAN, et al (Ed.). Nature-based solutions to address global societal changes. Gland, Suiça: IUCN, 2016. DOI: https://doi.org/10.2305/IUCN.CH.2016.13.en

MELBOURNE WATER. Introduction to WSUD. Página Web. Disponível em: <https://www.melbournewater.com.au/planning-and-building/stormwater-management/introduction-wsud>. Acesso em 10 de junho de 2019.

MIRANDA, J. M. Infraestrutura e qualidade de vida: o caso da Chácara Santa Luzia – Cidade Estrutural/DF. 2016. 72fl. il. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Geografia) – Universidade de Brasília. Brasília, 2016.

MIRANDA, J. M; ANDRADE, L.M.S. Análise comparativa segundo as dimensões da sustentabilidade entre a ocupação das chácaras Santa Luzia e a proposta para habitação social do governo. II SiBOGU, 2018. DOI: https://doi.org/10.17271/1980082714220181916

MONASH UNIVERSITY, Sustainable Development Institute. 2017. Water Sensitive Revitalisation of Informal Urban Settlements. Página web. Disponível em: <https://www.monash.edu/sustainable-development/capabilities/working-with-water/water-sensitive-revitalisation-of-informal-settlements>. Acesso em 30 de abril de 2018.

UN Water. 2018. The United Nations’ world water development report 2018: nature based solutions for water. Paris: UNESCO, 2018.

Como Citar
PERUCCHI, G.; SOUZA DE ANDRADE, L. M.; SILVA REZENDE, V. Santa Luzia Sensível à Água: abordagem leapfrogging com padrões espaciais de infraestrutura ecológica para ocupações informais no DF. . Revista Thésis, Rio de Janeiro, v. 8, n. 16, 2023. DOI: 10.51924/revthesis.2023.v8.333. Disponível em: https://thesis.anparq.org.br/revista-thesis/article/view/333. Acesso em: 4 mar. 2024.