Janelas para o rio na "nova" Cidade Velha: uma análise sobre os usos do Parque Naturalístico Mangal das Garças e do Portal da Amazônia

Publicado
2022-10-16
Palavras-chave: Mangal das Garças, Portal da Amazônia, Orla de Belém, Percepção, Belém - Pa Mangrove of the Cranes, Portal da Amazônia, Belem waterfront, perception, Belém - PA Manglar de las Grullas, Portal da Amazonia, paseo marítimo de belém, percepción, Belém - PA

Resumo

O bairro da Cidade Velha, conhecido por possuir um caráter histórico que remete à fundação da cidade de Belém do Pará, tem atraído, nas últimas duas décadas, grandes projetos que vêm promovendo uma transformação gradual na paisagem do mesmo, dentre os quais é possível destacar a inauguração, em 12 de janeiro de 2005, do Parque Naturalístico Mangal das Garças, e em junho de 2012 da primeira etapa do chamado Portal da Amazônia (Orla de Belém). Os dois projetos estão situados em uma parte do bairro que possui ocupação posterior em relação ao núcleo original de ocupação do mesmo, porção esta que pode ser chamada de “nova” Cidade Velha, a qual é marcada pela predominância de edificações de renovação, aqui entendidas como aquelas em que a legislação permite a construção de uma nova edificação no lugar. O presente artigo objetiva refletir a respeito da percepção de usuários e moradores vizinhos ao Mangal das Garças e o Portal da Amazônia, contribuindo para o reconhecimento da ocupação e utilização destes locais bem como do papel desempenhado pelos referidos espaços na vida de tais indivíduos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

AGIER, Michel. Antropologia da Cidade. Lugares, situações, movimentos. São Paulo: Terceiro Nome, 2011.

AUGÉ, Marc. Não Lugares: Introdução a uma antropologia da supermodernidade. Campinas: Papirus, 1994.

BELÉM. Lei Ordinária N.º 7709, de 18 de maio de 1994. Dispõe sobre a preservação e proteção do Patrimônio Histórico, Artístico, Ambiental e Cultural do Município de Belém e dá outras providências. Disponível em: http://www.belem.pa.gov.br/segep/download/coletanea/PDF/n_urban_p/patr_hist.pdf. Acesso em: 12 jul. 2021.

BRASIL. Decreto-Lei nº25, de 30 de novembro de 1937. Organiza a proteção do patrimônio histórico e artístico nacional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/del0025.htm. Acesso em: 12 jul. 2021.

CORBIN, Alain. O território do vazio: a praia e o imaginário ocidental. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

DUARTE, Cristiane Rose de S. A empatia espacial e sua implicação nas ambiências urbanas. Revista Projetar, edição especial de lançamento. P. 70-76, 2015.

DUTRA et al. Imago urbis e o parque naturalístico Mangal das Garças: um paralelo entre a arquitetura contemporânea e a culturalidade. Disponível em: http://arquiteturaufpamemoria.blogspot.com/2020/12/ensaio-imago-urbis-e-o-parque.html. Acesso em: 22 jan. 2021.

ECKERT, Cornélia. As variações “paisageiras” na cidade e os jogos da memória. In: SILVEIRA, Flávio Abreu da; CANCELA, Cristina Donza (Org.). Paisagem e cultura: dinâmica do patrimônio e da memória na atualidade. Belém: EDUFPA, 2009.

GEERTZ, Clifford. Vidas e Obras: o antropólogo como autor. Tradução Vera Ribeiro. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2009.

GORSKI, Maria Cecilia Barbieri. Rios e cidades: ruptura e reconciliação. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo). 2008. 243 f. Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2008.

KLIASS, Rosa Grena; ZEIN, Ruth Verde. Rosa Kliass: desenhando paisagens, moldando uma profissão. São Paulo: Editora Senac São Paulo, 2006.

LEÃO, Monique Bentes Machado Sardo. Projeto Portal da Amazônia: Contradições na Orla de Belém/PA. In: Anais do XV ENANPUR, v. 15 n. 1 (2013), Recife, 2013.

MERGULHÃO, Pedro. A paisagem Amazônica no paisagismo de Belém: caso Parque Naturalístico Mangal das Garças. 2009. 192 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Urbano). Universidade Federal de Pernambuco.

MIRANDA, C. S. Cidade Velha e Feliz Lusitânia: cenários do patrimônio cultural em Belém. 2006. 262 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais). Universidade Federal do Pará, Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais, Belém.

MIRANDA, C. S. Da Almedina à Feliz Lusitânia: personagens do patrimônio. Amazônica - Revista de Antropologia, Belém, v. 3, n. 2, p. 348-368, 2011.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da percepção. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

NORBERG-SCHULZ, Christian. “O Fenômeno do lugar”. In: NESBITT, Kate (org.). Uma Nova Agenda para a Arquitetura: antologia Teórica (1965-1995). São Paulo: Cosac Naify, 2006.

PALHETA, Nélio. Governo Alacid Nunes (1966 – 1971): Saneamento dos Canais de Belém. Diário Oficial do Estado, Belém, PA, n. 33.133, 23 mai. 2016, A História no Diário Oficial, p. 2.

PALLASMAA, Juhani. A geometria do sentimento: um olhar sobre a fenomenologia da arquitetura. In: Nesbitt, Kate (org). Uma nova agenda para a arquitetura: antologia teórica (1965 – 1995). São Paulo: Cosac Naify, 2006.

PONTE, Juliano Pamplona Ximenes. Cidade e água: Belém do Pará e estratégias de reapropriação das margens fluviais. Arquitextos, São Paulo, ano 08, n. 085.02, Vitruvius, jun. 2007. Disponível em: https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/08.085/237. Acesso em: 18 jan. 2021.

RIBEIRO, Rafael Winter. Paisagem cultural e patrimônio. Rio de Janeiro: IPHAN/COPEDOC, 2007.

ROCHA, Ana Luiza C. da; ECKERT, Cornelia. Etnografia de rua: estudo de

antropologia urbana. Revista Iluminuras. Série do Banco de Imagens e Efeitos

Visuais, número 44. Porto Alegre: BIEV, PPGAS/UFRGS, 2001.

SANTAELLA, Lúcia. Percepção: fenomenologia, ecologia, semiótica. São Paulo: Cengage Learning, 2012.

SANTOS, Emmanuel Raimundo Costa. História da cidade de Belém: intervenções urbanísticas. In: XVIII Encontro Nacional de Geógrafos. São Luís, 2016.

TUAN, Yi Fu. Topofilia: Um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. Londrina, Eduel, 2012.

TUTYIA, Dinah Reiko. Rua Dr. Assis: uma incursão pela paisagem patrimonial transfigurada da Cidade Velha. 2013. 211 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo). Universidade Federal do Pará, Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Belém.

VELHO, Gilberto. Individualismo e Cultura: notas para uma antropologia da sociedade

contemporânea. Rio de Janeiro: Editora Jorge Zahar, 2008.

Como Citar
COSTA FILHO, S.; SALVADOR MIRANDA, C.; DIAS DA SILVA, L. de J. Janelas para o rio na "nova" Cidade Velha: uma análise sobre os usos do Parque Naturalístico Mangal das Garças e do Portal da Amazônia. Revista Thésis, Rio de Janeiro, v. 7, n. 13, 2022. Disponível em: https://thesis.anparq.org.br/revista-thesis/article/view/347. Acesso em: 6 dez. 2022.