Mies e a primazia das relações entre espaço, estrutura e fechamento

Publicado
2021-04-28
Palavras-chave: Mies van der Rohe, espaço, estrutura, fechamento Mies van der Rohe, space, structure, closure Mies van der Rohe, espacio, estructura

Resumo

Considerando o papel chave que desempenham as relações entre espaço, estrutura e fechamento na construção da forma moderna, propomos examinar algumas das obras mais relevantes de Mies van der Rohe a partir dos seus planos de fechamento. O objetivo é questionar como estes elementos se combinam para estabelecer diferentes formas de relacionar os espaços internos e externos, e compreender que tipo de cidade estas arquiteturas tem o potencial de gerar. Analisaremos as fachadas de Mies, sintetizando suas diferentes formas de abordar a resolução de conflitos entre espaço, estrutura e fechamento, na seguinte sequência de obras: primeiro, as casas de tijolo da década de 1920, como a Casa Erich Wolf (1925-27) e a Casa Hermann Lange (1928), em que Mies elimina os elementos construtivos visíveis por paredes de tijolo perfuradas por esquadrias metálicas, dando às paredes o valor ambíguo de se comportar ao mesmo tempo como elemento construtivo massivo e como cortina de luz; após, o Pavilhão de Barcelona (1928-29) e a Casa Tugendhat (1929-30), onde ordem geométrica e espaço contínuo são concebidos independentemente da estrutura; e, por fim, as casas Farnsworth (1945-50) e Fifty by Fifty (1950-51), onde a estrutura se impõe como resolução essencial e sintética da forma arquitetônica, enquanto o espaço se reduz ao vazio absoluto. Deste modo, buscaremos investigar como temas arquitetônicos recorrentes na produção de Mies perpassaram sua obra e se desenvolveram ao longo das décadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Metrics

Carregando Métricas ...

Referências

BLAKE, Peter. Mies van der Rohe: Architecture and Structures. New York: Dover Publications, 1960.

BLASER, Werner. Mies van der Rohe: The Art of Structure. New York: Praeger, 1965.

BLASER, Werner. Mies van der Rohe. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

BONTA, Juan Pablo. Mies Van Der Rohe: Barcelona 1929. An Anatomy of Architectural Interpretation. A semiotic review of the criticism of Mies van der Rohe's Barcelona Pavilion. Barcelona: Editorial Gustavo Gilli, 1975.

COHEN, Jean-Louis. Ludwig Mies van der Rohe. Basel: Birkhäuser, 2011.

FANELLI, Giovanni; GARGIANI, Roberto. Histoire de l’architecture moderne. Structure et revêtement. Lausanne: Presses polytechniques et universitaures romandes, 2014.

FRAMPTON, Kenneth. Studies in tectonic culture. The poetics of construction in Nineteenth and Twentieth Century Architecture. Chicago: The MIT Press, 2001.

JOHNSON, Philip C. Mies van der Rohe. New York: The Museum of Modern Art, 1947.

LEATHERBARROW, David; MOSTAFAVI, Mohsen. Surface Architecture. Cambridge, Massachusetts: The MIT Press, 2005.

NEUMEYER, Fritz. The Artless Word. Mies van der Rohe on the Building Art. Cambridge, Massachusetts: The MIT Press, 1991.

ROWE, Colin; SLUTZKY, Robert. The mathematics of the ideal villa and other essays. Cambridge: The MIT Press, 1976, pp. 89-117.

TEGETHOFF, Wolf. Mies van der Rohe: The Villas and Country Houses. New York: Museum of Modern Art, 1985.

Como Citar
ESKINAZI, M. O. Mies e a primazia das relações entre espaço, estrutura e fechamento. Revista Thésis, Rio de Janeiro, v. 5, n. 10, 2021. DOI: 10.51924/revthesis.2020.v5.227. Disponível em: https://thesis.anparq.org.br/revista-thesis/article/view/227. Acesso em: 18 jun. 2021.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)