Trabalho, receituário e alienação na arquitetura: apontamentos críticos à prática do arquiteto

Publicado
2022-10-16
Palavras-chave: Alienação, Teoria Crítica, Ofícios, Produção do espaço Alienation, Critical theory, Crafts, Production of space Alienación, Teoría Crítica, Artesanías, producción del espacio

Resumo

O ensaio procura apontar fenômenos contemporâneos de tolhimento da autonomia pela alienação de conhecimentos cotidianos que, junto com o desenho arquitetônico, promovem o arquiteto e urbanista ao status de especialista, engessando sua prática em formatos heterônomos. Busca expor, com as críticas de Ivan Illich e Sérgio Ferro, como a prática do arquiteto contribui para a alienação e exploração do trabalho dos operários da construção civil em detrimento de uma dialética corpo-habilidade que aproximaria indivíduo e sociedade.  Contrapondo estes processos, que dizem respeito tanto à produção como ao consumo da arquitetura, com estudos sobre tecnologia e antropologia, argumenta-se em favor de uma política de transformação da tecnologia da arquitetura, baseada na relação entre corpo, habilidades, aprendizado e técnica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ADORNO, Theodor. “Funktionalismus heute.“ In: Ohne Leitbild. Parva Aesthetica. Frankfurt/M: Suhrkamp, 1967, p.104-126

BALTAZAR, Ana Paula. Architecture as Interface: a constructive method for spatial articulation in architectural education. Lisboa, 2016

BOURDIEU, Pierre. The forms of capital. 1986

BRASIL, 2008. Lei nº 11.888, de 24 de dezembro de 2008. Assegura às famílias de baixa renda assistência técnica pública e gratuita para o projeto e a construção de habitação de interesse social e altera a Lei no 11.124, de 16 de junho de 2005. Brasília, 2008.

CHAVES, J. C; RIBEIRO, D. R. .“Arte em Herbert Marcuse: formação e resistência à sociedade unidimensional.“ Psicologia & Sociedade, 26(1), 12-21. 2014

DE CERTEAU, Michel. A invenção do cotidiano: 1 Artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 2012.

ENGELS, Friederich. A Questão da Habitação. Belo Horizonte: Aldeia Global Editora. 1979

FERRO, Sérgio. Arquitetura e trabalho livre. São Paulo: Cosac &Naify, 2006.

FEENBERG, Andrew. Transforming technology: A critical theory revisited. New York, Oxford University Press, 2002.

GROPIUS, Walter. Bauhaus: Novarquitetura. São Paulo: Perspectiva, 2013.

ILLICH, Ivan. Necessidades. NP, 1990.

INGOLD, Tim. “Three in One: On dissolving the distinctions between body, mind and culture“ . Manchester: University of Manchester, 1999.

______. The Perception of the Environment: Essays on livelihood, dwelling and skill. New York: Routledge, 2000.

______. "The Textility of Making“ Cambridge Journal of Economics, Volume 34, p. 91 - 102. 2009

KAPP, Silke. Por que Teoria Crítica da Arquitetura? Uma explicação e uma aporia. In: Maria Lúcia Malard. (Org.). Cinco Textos Sobre Arquitetura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005, p. 115-167.

KAPP, Silke; BALTAZAR, Ana Paula. Against determination, beyond mediation. 2009

MARCUSE, Herbert. A dimensão estética. Portugal: Ed. 70. [1977] 1999.

______. Razão e Revolução - Hegel e o advento da teoria social, São Paulo: Paz e Terra, 2004.

MARX, Karl. O 18 Brumário de Luís Bonaparte. São Paulo: Boitempo, [1851] 2011.

______. O Capital: O processo de produção do capital. São Paulo: Boitempo, 2013.

MESZÁROS, Istvan. A teoria da alienação em Marx. São Paulo: Boitempo, 2006

SANTOS, Boaventura de Souza. Um discurso sobre as ciências. Porto: Afrontamento, 1980.

SANTOS, Roberto Eustáquio dos. A armação do concreto no Brasil. História da difusão da tecnologia do concreto armado e da construção de sua hegemonia. Tese apresentada ao Programa de Pós Graduação em Educação: “Conhecimento e Inclusão Social”, da Faculdade de Educação da UFMG. FAE-UFMG, 2008

SILVA, R.A. Aglomerados subnormais: definição, limitações e críticas. Revista GeoUECE - Programa de Pós-Graduação em Geografia da UECE Fortaleza/CE, Número Especial, p. 26-40, dezembro de 2014

SOUZA, Jessé. A Ralé brasileira: Quem é e como vive. Editora UFMG: Belo Horizonte, 2009

______. Os batalhadores brasileiros: Nova classe média ou nova classe trabalhadora? Editora UFMG: Belo Horizonte, 2010

STEVENS, Garry. O Círculo Privilegiado: Fundamentos Sociais da Distinção Arquitetônica. Brasília: Editora UNB, 2003.

WILLIANS, Raymond. Keywords: A Vocabulary of Culture and Society. Oxford University Press: New York, 1983

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo B. A Inconstância da Alma Selvagem e Outros Ensaios de Antropologia. São Paulo: Cosac & Naify. 2002

ŽIŽEK, Slavoj. Problemas no paraíso. in Harvey, David. Cidades Rebeldes: Passe livre e as manifestações que tomaram as ruas do Brasil. São Paulo: Boitempo, 2013.

Como Citar
CREVELS, E. Trabalho, receituário e alienação na arquitetura: apontamentos críticos à prática do arquiteto. Revista Thésis, Rio de Janeiro, v. 7, n. 13, 2022. Disponível em: https://thesis.anparq.org.br/revista-thesis/article/view/273. Acesso em: 6 dez. 2022.