O Ciclo dos Arrabaldes

a configuração urbana de Salvador e seus arredores (1870-1940)

Publicado
2023-12-21
Palavras-chave: história urbana, festas, festas de rua, urbanização, arrabaldes urban history, festivals, street festivals, urbanization, suburbs historia urbana, fiestas, fiestas de calle, urbanización, arrabales

Resumo

No presente artigo apresentamos alguns aspectos do que foi uma etapa histórica da cidade de Salvador, capital da Bahia (Brasil), que situamos em linhas gerais entre 1870 e 1940, que correspondia a um arranjo territorial do seu núcleo urbano e dos arrabaldes do entorno imediato onde, junto com localidades da Baía de Todos os Santos, se veraneava. No século XIX esse veraneio era chamado “passar as festas”, e não por acaso, pois tal calendário era marcado no início e no fim por grandes festas urbanas, e, no seu correr, por festejos que ocorriam nos arrabaldes, alguns de importância regional, como as festas do Bonfim. Essa constelação de localidades era coerida pela movimentação pendular na cadência das grandes festas, dentro de uma infra-estrutura de transporte coletivo, com um cotidiano comum, marcado por ensaios de mundanidade. Onde cada localidade, seus moradores e veranistas, competiam entre si, em diversas maneiras, dentro do palco constituído por tais festas. Aqui enfatizamos a partitura das festas e sua importância nessa urbanização dos arrabaldes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ALMEIDA, Maria do Carmo Baltar Esnaty. As Vitrines da Civilização: a modernização urbana do Bairro Commercial da Cidade da Bahia (1890-1930). 2014. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – PPGAU, Universidade Federal da Bahia, Salvador. 2014.

AMARAL, José Alvares do. Resumo Chronologico e Noticioso da Província da Bahia Desde o seu Descobrimento em 1500. 2ed. Revisto e Consideravalmente Annotado por J. Teixeira Barros. Salvador: Imprensa Official do Estado, Rua da Misericórdia, n.1, 1922.

CÂMARA, Antônio Alves. Ensaio sobre as Construções Navaes Indígenas do Brasil. Rio de Janeiro: Typ. de G. Leuzinger & Filhos, Ouvidor 31, 1888.

CARNEIRO, Edison. Religiões Negras – Notas de Etnografia Religiosa/ Negros Bantos – notas de etnografia religiosa e de folclore. 3ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991.

CARVALHO, Aloísio de [Lulu Parola]. Cantando e Rindo – Coletânea de versos de Lulu Parola. Salvador: Diretoria do Arquivo, Divulgação e Estatística/ PMS, 1954.

CARVALHO, Carlos Alberto de. A Locomoção da Cidade Através dos Tempos. Salvador: Escola de Aprendizes Artífices, 1940.

________. Tradições e Milagres do Bonfim. Obra seguida de interessante Resenha Histórica da Península de Itapagipe Salvador: Typ. Bahiana, de Cincinnato Melchiades, Rua Lopes Cardoso, ex-Grades de Ferro, 69, 1915.

CARVALHO FILHO, José Eduardo Freire de. A Devoção do Senhor Bom Jesus do Bonfim e Sua História. 2ed. Salvador: Imprensa Oficial, 1945.

COSTA, Afonso. Poetisas Bahianas. Adelia Fonseca. In: Revista Trimestral do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, Salvador, n.53, 1927. Salvador: Secção Graphica da Escola de Aprendizes Artífices, 1927.

FALLA com que o Excellentissimo Senhor Dezembargador João Antonio de Araujo Freitas Henriques Abriu a 1ª Sessão da 19ª Legislatura da Assembléa Provincial em 1º de Março de 1872. Salvador: Typ. do “Correio da Bahia”, Rua d´Alfandega n.29, 1872.

FALLA com que o Exmo. Sr. Commendador Antonio Candido da Cruz Machado Abriu a 1ª Sessão da Vigesima Legislatura da Assembléa Legislativa Provincial da Bahia no dia 1º de Março de 1874. Salvador: Typ. do “Correio da Bahia”, Rua d´Alfandega, n.31, 1874.

FERREZ, Gilberto. Bahia: Velhas Fotografias 1858/ 1900. Rio de Janeiro: Kosmos Ed./ Salvador: Banco da Bahia Investimentos S.A., 1988.

FONSECA, L. Anselmo da. Hygiene Pública aplicada à Cidade da Bahia. In: Revista dos Cursos da Faculdade de Medicina. Bahia: Typ. Bahiana, de Cincinnatto Melchiades, Rua do Arsenal da Marinha, 25, 1908.

FRANCO, Tasso. O Trancelim da Baiana. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2002.

FREIRE, Antonio (org.). Almanak da Província da Bahia. Salvador: Litho-typographia de João Gonçalves Tourinho, Arcos de Santa Barbara, n.83, 1881.

FUNDAÇÃO BIBLIOTECA NACIONAL. Biblioteca Nacional Digital Brasil. Disponível em: <http://bndigital.bn.gov.br/acervodigital/> Acesso: nov 2019.

GANDON, Tânia Risério d´Almeida. A Voz de Itapuã. Salvador: EDUFBA, 2008.

LIMA, Herman. Roteiro da Bahia. 2ed amp. Salvador: Imprensa Oficial da Bahia, 1969.

LINDLEY, Thomas. Narrative of a Voyage to Brazil; terminating in the Seizure of a British Vessel, and the Imprisonment of the Author and the Ship´s Crew, by the Portuguese with General Sketches of the Country, its Natural Productions, Colonial Inhabitants, etc. and a Description of the City and Provinces of St. Salvadore and Porto Seguro. London: J. Johnson, St-Paul´s Church-yard. 1805.

LOPES, Licídio. O Rio Vermelho e Suas Tradições – memórias de Licídio Lopes. Salvador: Fundação Cultural do Estado da Bahia, 1984, 112p. [o livro foi concluído em 1969].

MARQUES, Xavier. Jana e Joel. 6ed. São Paulo: GRD. 1975. [Primeira edição de 1899].

MARTINS, Ezequiel da Silva. A Bahia – Suas Tradições e Encantos. Salvador: Secretaria da Cultura e Turismo, FUNCEB, EGBA, 2000.

MARTINS, José de Barro & AMADO, Jorge. Apresentação. In: CARYBÉ. As Sete Portas da Bahia. 2ed. São Paulo: Livraria Martins Editora S.A, s/d.

MEIRELLES, Edison de Palma. A Bahia Que Eu Conheci. Salvador: Ed. Mensageiro da Fé Ltda., 1973.

MORRISON, Allen. The Tramways of Brazil – a 130-year survey. New York: Bonde Press, 1989.

PAZ, Daniel J. Mellado. A Europa dos Pobres: a ilha de Itaparica como sanatório do beribéri. In: Anais do XII SHCU – Seminário da História da Cidade e do Urbanismo. CD-ROM. Porto Alegre: PROPUR-UFRGS/ PROPAR-UFRGS, 2012b).

________. Beira do Mar, Lugar Comum: o surgimento do lazer e bem-estar à beira-mar da cidade do Salvador. Séc. XIX. 2020. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade Federal da Bahia, Salvador. 2020.

PINHO, Wanderley. Cotegipe e seu Tempo. Primeira Phase – 1815-1867. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1937.

PORTO FILHO, Ubaldo Marques. Rio Vermelho. Salvador: s/d.

QUERINO, Manuel. A Bahia de Outrora. Salvador: Livraria Progresso Editora, 1955.

RELATÓRIO Apresentado à Assembléa Legislativa da Bahia pelo Excellentissimo Senhor Barão de S. Lourenço Presidente da mesma Província em 6 de Março de 1870. Salvador: Typ. do Jornal da Bahia, 1870.

RELATÓRIO com que o Excellentissimo Senhor Presidente Dr. Luiz Antonio da Silva Nunes Abriu a Assembléa Legislativa Provincial da Bahia no dia 1º de Maio de 1876. Salvador: Typ. do “Jornal da Bahia”, 1876.

RELATÓRIO de Contas da Gestão dos Negócios Municipaes de 5 de Fevereiro a 31 de Dezembro de 1893 Apresentados pelo Dr. José Luiz de Almeida Couto Intendente Municipal da Capital do Estado da Bahia em 9 de Janeiro de 1894 ao Conselho Municipal. Salvador: Typ. do “Estado da Bahia”, Largo do Terreiro, 2, 1894.

RELATÓRIO Apresentado ao Conselho Municipal na Sessão de 3 de Fevereiro de 1905 pelo Dr. Antonio Victorio de Araujo Falcão Intendente de Município da Capital da Bahia. Salvador: Empreza d´A BAHIA, Rua da Alfândega, 33, 1905.

REQUIAO, Hermano. Itapagipe (Minha Infância na Bahia). Rio de Janeiro/ São Paulo: Livraria José Olympio Editora, 1949.

RIO VERMELHO – Projeto História dos Bairros de Salvador. Salvador: Governo do Estado da Bahia – Secretaria da Cultura/ Fundação Cultural do Estado da Bahia, 1988.

SILVA, Katia Maria de Carvalho. O Diário da Bahia e o Século XIX. Rio de Janeiro: Edições Tempo Brasileiro. Brasília: Instituto Nacional do Livro/ Ministério da Educação e Cultura, 1979.

SILVA, Alberto. A Primeira Cidade do Brasil (Aspectos Seculares). Salvador: Câmara Municipal da Cidade do Salvador, 1953.

TAVARES, Odorico. Bahia: Imagens da Terra e do Povo. Rio de Janeiro: Ed. Civilização Brasileira S.A., 1961

TEIXEIRA, Cid. Bahia em Tempo de Província. Salvador: Fundação Cultural do Estado da Bahia, 1986.

TORRES, Carlos. Bahia Cidade-Feitiço. 2ed. rev. e amp. Salvador: Imprensa Oficial da Bahia, 1961.

________. Impressões e Imagens (Assuntos estudantis, contos, crônicas, fantasias, descrições e páginas íntimas). Bahia: Imprensa Oficial, 1948, p.171.

________. Vultos, Fatos e Coisas da Bahia. Salvador: Imprensa Oficial da Bahia, 1959.

VARELLA, João. Da Bahia que eu Vi. Salvador: Typographia de O Povo, 1935.

VIANNA, Antônio. Casos e Coisas da Bahia. Salvador: Secretaria de Educação e Saúde, 1950.

________. Quintal de Nagô e Outras Crônicas. Salvador: Centro de Estudos Baianos/ Universidade Federal da Bahia, ago 1979.

VIANNA, Francisco Vicente. Memória sobre o Estado da Bahia, feita por ordem do Exm. Sr. Dr. Joaquim Manuel Rodrigues Lima, Governador do Estado da Bahia. Salvador: Typ. e Enc. do Diário da Bahia, 1893.

VIANNA, Hildegardes. Conversa sobre a Bahia. In: O Cruzeiro, Rio de Janeiro, ano 28, n.14, 18 ago 1956.

VIANNA, Marisa. "...Eu vou pra Bahia". Salvador: Bigraf, 2004.

VIEIRA, José Geraldo. Introdução. In: KANTOR, Manuel. Bahia. Edições Melhoramentos, 1947.

Como Citar
PAZ, D. J. M. O Ciclo dos Arrabaldes: a configuração urbana de Salvador e seus arredores (1870-1940). Revista Thésis, Rio de Janeiro, v. 8, n. 16, 2023. Disponível em: https://thesis.anparq.org.br/revista-thesis/article/view/358. Acesso em: 4 mar. 2024.