Entre a planta nativa e o monumento histórico: o jardim moderno de Roberto Burle Marx nos anos 1930

Publicado
2022-12-21
Palavras-chave: Burle Marx, modernidade, plantas nativas, monumentos históricos Burle Marx, modernity, native plants, historic monuments Burle Marx, modernidad, plantas nativas, monumentos históricos

    Autores

  • Aline de Figueirôa Silva

Resumo

Autor de vasta produção artística e paisagística realizada ao longo de sua intensa atividade profissional, abarcando desde praças a parques de larga escala, jardins públicos e privados, pinturas, tapeçarias, joias e cristais, Roberto Burle Marx (1909-1994) produziu projetos de reforma de jardins localizados em edificações históricas ou sítios urbanos tradicionais. No Recife, cidade onde realizou seus primeiros jardins públicos, elaborou 21 projetos enquanto chefiou o Setor de Parques e Jardins do Governo de Pernambuco, em sua maioria visando à remodelação de praças ajardinadas entre o final do século XIX e o início da década de 1930, de algum modo relacionadas a contextos históricos ou à presença de artefatos artísticos, utilitários e rememorativos. Assim, privilegiando fontes documentais, como mapas e plantas técnicas, relatórios da administração pública, revistas, jornais, artigos e depoimentos de Burle Marx, este artigo examina seus princípios projetuais e sua compreensão de jardim moderno ao propor a reforma de logradouros recifenses preexistentes. Destaca, em particular, suas atitudes em relação aos monumentos históricos existentes nos espaços remodelados, bem como algumas reações às suas posturas inovadoras por parte do jornalista Mario Melo (1884-1959), explorando novos aspectos da modernidade dos jardins do paisagista para além da valorização de espécies vegetais nativas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

ALBUM de Pernambuco 1933. Recife: Drechsler & Cia Estabelecimento Grafico, 1933.

ALMANACH de Pernambuco para o anno de 1906, 8º anno. Monumento 7 de Setembro. Recife: [s.n].

ANNUARIO de Pernambuco para 1935: Resumo estatistico e descriptivo das actividades pernambucanas em seus varios aspectos. 1935. Recife: Officinas do Diario da Manhã.

BORGES, J. P. Mensagem apresentada á Camara Municipal do Recife por ocasião de sua instalação em 15 de agosto de 1936. Recife: Imprensa Official, 1936a.

BORGES, J. P. Mensagem lida perante a Camara Municipal do Recife por ocasião da instalação dos trabalhos da 2ª sessão ordinaria, em 10 de novembro de 1936. Recife: Imprensa Official, 1936b.

BRITO, Francisco Saturnino Rodrigues de. Saneamento de Recife: Descrição e Relatorios, v. 2: Relatórios e Estampas. Recife: Imprensa Official, 1917.

CARDOZO, J. 1973. A Diretoria de Arquitetura e Urbanismo (DAU): olhada de um ponto de vista atual. In: MACEDO, D. M.; SOBREIRA, F. J. A. (orgs.). Forma estática-Forma estética: Ensaios de Joaquim Cardozo sobre Arquitetura e Engenharia. Brasília: Câmara dos Deputados: Edições Câmara, 2009. p. 171-176.

CAVALCANTI, V. B. Recife do Corpo Santo. Recife: Prefeitura Municipal do Recife, 1977.

COSTA, F. A. P. da. Arredores do Recife. 2. ed. Recife: Massangana, 2001.

DIARIO da Tarde. A reforma dos jardins publicos do Recife, Recife, 22/5/1935.

DIARIO da Tarde. Jardins bonitos que o Recife possue, Recife, 14/6/1937.

DIÁRIO de Notícias. Burle Marx diz que planta é o <>, Salvador, 3/9/1960.

DIARIO de Pernambuco. Projeto para um jardim no Largo do Bemfica, Magdalena. Recife, 08/11/1931.

DIARIO de Pernambuco. A reforma dos jardins do Recife, Recife, 20/5/1937.

HAMERMAN, C. Burle Marx: The Last Interview. The Journal of the Decorative and Propaganda Arts, 1995, n. 21, p. 156-179. https://doi.org/10.2307/1504137.

MARX, R. B. Jardins e Parques do Recife. Diario da Tarde, Recife, 14/3/1935b.

MARX, R. B. Jardins para o Recife. Boletim de Engenharia, Recife, 7 mar., 1935a.

MARX, R. B. Minha experiência em Pernambuco. In: MIRANDA, Maria do Carmo Tavares (org.). Anais do Seminário de tropicologia: Homem, terra e trópico. Recife: Fundaj/Editora Massangana, 1992. pp. 68-86.

MARX, R. B. O Jardim da Casa Forte. Diario da Manhã, Recife, 22/5/1935c.

MARX, R. B. Estátuas em jardins. Revista Cultura, MEC, agosto, 1968, ano 2, n. 14, pp. 23-26.

MARX, R. B. Conceitos de Composição em Paisagismo, 1954. In: MARX, R. B. (org.). Arte e Paisagem: conferências escolhidas. São Paulo: Nobel, 1987. pp.11-19.

MARX, R. B. Projetos de paisagismo de grandes áreas, 1962. In: MARX, R. B. (org.). Arte e Paisagem: conferências escolhidas. São Paulo: Nobel, 1987. pp. 51-60.

MELO, M. O caso do Jardim da Casa Forte. Jornal do Commercio, Recife, 26/5/1935, 1935a.

MELO, M. “Ontem, Hoje e Amanhã”. Jornal Pequeno, Recife, 9/7/1935, 1935b.

MELO, M. “Ontem, Hoje e Amanhã”. Jornal Pequeno, Recife, 30/7/1935, 1935c.

MELO, M. “Ontem, Hoje e Amanhã”. Jornal Pequeno, Recife, 31/8/1935, 1935d.

MELO, M. “Ontem, Hoje e Amanhã”. Jornal Pequeno, Recife, 16/10/1935, 1935e.

MELO, M. “Ontem, Hoje e Amanhã”. Jornal Pequeno, Recife, 31/10/1935, 1935f.

MELO, M. “Ontem, Hoje e Amanhã”. Jornal Pequeno, Recife, 3/3/1936, 1936a.

MELO, M. “Ontem, Hoje e Amanhã”. Jornal Pequeno, Recife, 4/11/1936, 1936b.

PARQUE da Casa Forte – Projeto de ajardinamento organisado por R. Burle Marx, Escala 1:200.

PLANTA da Cidade do Recife e Arredores – Domingos Ferreira, Engenheiro-Chefe do Escritório Técnico. Prefeitura Municipal do Recife, 1932.

PRAÇA Coração de Jesus – Projecto de ajardinamento organisado por R. Burle Marx, Escala 1:200.

PROJETO de ajardinamento organisado por R. Burle Marx para a Praça Arthur Oscar, Escala 1:100.

REVISTA de Pernambuco. Recife: Repartição de Publicações Officiaes do Estado de Pernambuco. Ano 1, n. 1, julho de 1924.

REZENDE, A. P. O Recife: Histórias de uma cidade. 2. ed. Recife: Fundação de Cultura da Cidade do Recife, 2005.

RIEGL, Aloïs. El culto moderno a los monumentos. Madrid: Visor, 1999.

SÁ CARNEIRO, A. R. Quinta porta: o projeto do jardim como paisagem. In: VERAS, L. M. S. C. de et al. (org.). Cadernos de Arquitetura e Urbanismo: Cidade-paisagem. Recife: CAU/PE, João Pessoa: Patmos Editora, 2017.

SÁ CARNEIRO, A. R.; SILVA, A. de F.; SILVA, J. M. da (orgs.). Jardins de Burle Marx no Nordeste do Brasil. Recife: Editora Universitária da UFPE, 2013.

SILVA, A. de F. Hygiene, education and art: Roberto Burle Marx’s 1930s modern gardens in Brazil. In: DIOGO; Maria Paula; RODRIGUES, Ana Duarte; SIMÕES, Ana; SARSO, David (orgs.). Gardens and Human Agency in the Anthropocene. London: Routledge, 2019, pp. 19-40.

SILVA, A. de F. Jardins do Recife: uma história do paisagismo no Brasil (1872-1937). Recife: Cepe, 2010.

SILVA, A. de F. Entre a implantação e a aclimatação: o cultivo de jardins públicos no Brasil nos séculos XIX e XX. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo), Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016.

SILVA, J. M. da. Integridade Visual nos Monumentos Vivos: os jardins históricos de Roberto Burle Marx. Tese (Doutorado em Desenvolvimento Urbano), Universidade Federal de Pernambuco, 2017.

SIQUEIRA, V. B. Permanência e diversidade: valores modernos nos jardins de Burle Marx. Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material, v. 25, n. 3, 2017. Disponível em: <https://www.revistas.usp.br/anaismp/article/view/146194/139887>. Acesso em: 14 fev. 2022. DOI https://doi.org/10.1590/1982-02672017v25n0303.

Como Citar
DE FIGUEIRÔA SILVA, A. Entre a planta nativa e o monumento histórico: o jardim moderno de Roberto Burle Marx nos anos 1930. Revista Thésis, Rio de Janeiro, v. 7, n. 14, 2022. Disponível em: https://thesis.anparq.org.br/revista-thesis/article/view/376. Acesso em: 26 fev. 2024.