Centros de interpretação no contexto da política cultural brasileira

Publicado
2023-12-21
Palavras-chave: comunicação interpretativa, centro de interpretação, política cultural, Patrimônio Mundial

Resumo

Os processos de apresentação e interpretação correspondem a formas de interação com o patrimônio cultural e estão relacionados com a sua preservação. Dessa maneira, a comunicação interpretativa é compreendida como uma estratégia, que ajuda a conectar intelectual e emocionalmente o visitante com os significados do recurso patrimonial visitado, para que disfrutem e o apreciem. O objetivo desse artigo é contextualizar a introdução da comunicação interpretativa no campo do patrimônio cultural, identificar iniciativas de criação de centros interpretativos no Brasil e associa-las às políticas culturais conduzidas pelo Brasil desde 2018 à atualidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

BRASIL. Decreto n. 9763, de 11 de abril de 2019. Dispõe sobre a Política Nacional de Turismo, com vistas a desenvolver, a ordenar e a promover os segmentos turísticos relacionados com o Patrimônio Mundial Cultural e Natural do Brasil. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n.70-A, p.12, 11 abr. 2019.

ICOMOS - Conselho Internacional de Monumentos e Sítios. Carta de Ename para Interpretación y Presentación de Sitios de Patrimonio Cultural. Québec: ICOMOS, 2008

IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Portaria n.137, 28 de abril de 2016. Estabelece diretrizes de Educação Patrimonial no âmbito do Iphan e das Casas do Patrimônio. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 81, p. 6, 29 abr. 2016.

IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Portaria n.375, 19 de setembro de 2018. Institui a Política de Patrimônio Cultural Material do Iphan e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 182, p. 7-11, 20 set. 2018.

KÜHL, B. M. Notas sobre a Carta de Veneza. Museu Paulista: História e Cultura Material, São Paulo, v. 18, n. 2, p. 287-320, dez. 2010. DOI: https://doi.org/10.1590/S0101-47142010000200008

MORALES MIRANDA, Jorge. La interpretación del patrimonio natural y cultural: todo un camino por recorrer. PH Boletín del Instituto Andaluz del Patrimonio Histórico, ano 6, n.25, p.150-157, 1998. DOI: https://doi.org/10.33349/1998.25.732

OBCPM - Organização Brasileira das Cidades Patrimônio Mundial. Carta de São Luis, São Luis: OBCPM; Prefeitura de São Luis, 2021. Disponível em: https://www.cidadeshistoricas.org.br/wp-content/themes/cidadeshistoricas/images/carta_sao_luis_2021.pdf. Acesso em: 01 mai. 2022.

PEDERSEN, A. Gestão do turismo em Sítios do Patrimônio Mundial: manual prático para gestores de Sítios do Patrimônio Mundial. Brasília, D.F: Unesco; Iphan, 2019

PONTE, A. O papel dos centros interpretativos na comunicação do patrimônio. Revista do Patrimônio, nº 39, p.159-180, 2019.

SILBERMAN, N. Chronology of the drafting, review, and revision of the proposed ICOMOS Charter for the interpretation and presentation of cultural heritage sites. Selected Publications of EFS Faculty, Students, and Alumni, Paper 7, 2007, pp.1-4. Disponível em: http://scholarworks. umass.edu/efsp_pub_articles/7 Acesso em: 10 out. 2022.

SILBERMAN, N. Process Not Product: The ICOMOS Ename Charter (2008) and the Practice of Heritage Stewardship, The Journal of Heritage Stewardship, 6, 2, 2009. pp.7-15.

TILDEN, F. Interpreting our Heritage. Chapter Hill: University of North Carolina, 1977.

UNESCO. Gestão do Patrimônio Mundial cultural. Brasília: Unesco Brasil, Iphan, 2016. 163 p., il. – (Manual de referência do patrimônio mundial).

YÁÑEZ, C. M. Carta Internacional de Turismo Cultural do ICOMOS de 1999: primeira aproximação para sua revisão e atualização. Revista do Patrimônio, nº 39, p.71-87, 2019.

Como Citar
ANDRADE, I. Centros de interpretação no contexto da política cultural brasileira. Revista Thésis, Rio de Janeiro, v. 8, n. 16, 2023. DOI: 10.51924/revthesis.2023.v8.398. Disponível em: https://thesis.anparq.org.br/revista-thesis/article/view/398. Acesso em: 4 mar. 2024.