A Economia Doméstica e a contribuição feminina na Arquitetura Moderna

Publicado
2022-10-16
Palavras-chave: Economia Doméstica, Arquitetura Moderna, Taylorismo, Racionalismo, mulheres na arquitetura Domestic economy, modern architecture, Taylorism, Rationalism, women in architecture Economía doméstica, arquitectura moderna, Taylorismo, Racionalismo, mujeres en la arquitectura

    Autores

  • Kelen Gracielle Ferreira Universidade Estadual de Campinas
  • Ana Maria Reis de Goes Monteiro

Resumo

O curso de economia doméstica teve início nas escolas femininas de meados do século XIX, quando meninas começaram a ter mais acesso à educação. O presente artigo foi resultado de um trabalho de mestrado sobre as demandas da Escola Profissional Feminina de São Paulo em seus primeiros anos de existência. A partir de uma análise do currículo dessa escola e de outros estudos de caso, foi possível constatar que a evolução de cursos como esse, lecionados especificamente para mulheres, pelo vínculo ao lar, aperfeiçoou ou derivou em diversos outros cursos e profissões. Algumas mulheres, sejam elas jornalistas, professoras ou donas de casa, escreveram livros e artigos sobre o assunto e forneceram subsídios para o amadurecimento da economia doméstica enquanto ciência. Uma das contribuições foi para a arquitetura e o estudo do uso racional do espaço que era enfoque de arquitetos modernistas, aos quais há indícios de que prestaram consultoria. Como conhecedoras do trabalho no ambiente doméstico, essas mulheres começaram a observar e repensar a disposição ideal de mobiliário e equipamentos tanto para cozinhas quanto em outros ambientes da casa. Elas demonstraram através de comprovação científica e conceitos tayloristas, o quanto o desperdício de tempo causado por um projeto mal resolvido poderia afetar seu cotidiano e o bem-estar da família, do marido trabalhador e consequentemente da economia do país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Referências

BEECHER, Catherine E.; STOWE, Harriet Beecher. American Woman´s Home: a guide to the formation and maintainance of economical, healthful, beautiiful, and christian homes. New York: J.B. Ford And Company, 1869.

BERNÈGE, Paulette. La machine a habiter. Mon Chez Moi: la revue d´organization ménagère. Paris, p. 239-243, 15 nov. 1926.

BERNÈGE, Paulete. Le ménage simplifié: ou la vie en rose. Paris: Stock, 1935.

CARDOSO, Florencia Fernandez. Deux cuisines médiatisées et leur transgression de genre: le cas de Bernège et Hefner. Livraisons de L'Histoire de L'Architecture, Online, v. 2018, n. 35, p. 99-109, 15 jun. 2020.

CARVALHO, Maria Lúcia Mendes de. Desvendando raízes e retratos no campo da alimentação e nutrição no Brasil: de Francisco Pompêo do Amaral ao Centro Paula Souza. 2013. 485 f. Tese (Doutorado) - Curso de Engenharia Agrícola, Unicamp, Campinas, 2013.

DIRETORIA GERAL DA INSTRUÇÃO PÚBLICA (São Paulo) (org.). Anuário do Ensino do Estado de São Paulo. 1920.

DUBAIL, Caroline. Un grand Palais pous les arts ménagers (1926-1960): hommage à jules-louis breton. Les Dossiers Pédagogiques Du Grand Palais, Paris, n. 7, p. 1-29, 2020. Disponível em: https://www.grandpalais.fr/pdf/DP_SAM_Au_GrandPalais.pdf. Acesso em: 07 fev. 2021.

DUMONT, Marie-Jeanne. Si les femmes faisent les maisons: la croisade de Paulette Bernège. Criticat, Paris, n. 10, p. 55-63, 2012. Disponível em: https://issuu.com/criticat/docs/criticat10. Acesso em: 07 fev. 2021.

FREDERICK, Christine. Household Engineering. Chicago. American School of Home Economics, 1923.

FREITAS, Maria Vitorino de. Tecnologia: Artes e Ofícios Femininos. São Paulo, 1948.

HENDERSON, Susan. Margarete Schütte-Lihotzky (1897-2000). The Architectural Review, [s. l], p. 1-2, 27 jun. 2015.

LOPEZ, Guillermo. Cecilia Grierson. Escuelas técnicas del hogar. La ciencia doméstica como profesionalización temprana de las mujeres. Congreso - Memorias 2019, Buenos Aires, p. 75-79, jan. 2019.

MICHAUX, Edouard. Les écoles ménagères: leur utilité pour améliorer le sort des travailleurs et combattre le collectisme leur programme travail suivi d'une méthode facile et complete de comptabilité domestique. Paris, Librairie Guillaumin et Cie, 1895.

MOURA, Lígia Carolina Silva. O papel da mulher no suplemento feminino entre 1945 e 1964. 2020. 1 v. Tese (Doutorado) - Curso de Arquitetura, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2020.

SALVETTI, Xenia Miranda. Imprensa a Publicidade em São Paulo dos Anos 20: quotidiano das mulheres pobres. 2011. 371 f. Tese (Doutorado) - Curso de História, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2011.

SILVEIRA, Horácio Augusto da. O Ensino Technico-Profissional e Doméstico em São Paulo. Empr. Grafica da Revista dos Tribunais, em 1935.

WIRTH, Ernestine. La Future Ménagère: lectures et leçons sur l´école domestique, la science du ménage, la hygiène, les qualités et les connaissances nécessaires a une maitresse de maison. 6. ed. Paris: Librarie Hachette Et Cie, 1892.

Como Citar
FERREIRA, K. G.; REIS DE GOES MONTEIRO, A. M. . A Economia Doméstica e a contribuição feminina na Arquitetura Moderna. Revista Thésis, Rio de Janeiro, v. 7, n. 13, 2022. Disponível em: https://thesis.anparq.org.br/revista-thesis/article/view/291. Acesso em: 6 dez. 2022.